terça-feira, 26 de julho de 2011

Tudo (tão) vago.

Escrever tem sido difícil, porque os dias têm sido vazios. Me faltaram palavras, me faltaram frases inteiras; ainda me faltam, talvez. Tenho me tornado especialista em desenhar entre as linhas em branco, vez ou outra, preenchidas com rabiscos, tolices ou até mesmo um tudo e um nada se completando. É como se o coração tivesse mil coisas pra dizer e ao mesmo tempo, um grande vazio que não permite ir além dos pontos de interrogação que tem preenchido a minha mente inquieta. Fugiu o verbo, a palavra, a crença. Fugiram também as certezas, as incertezas, os provérbios nas horas de fraqueza, os conselhos que não tem mais efeito em hora nenhuma. Só existem as lembranças, as ilusões. É só o que tem agora. Tudo revestido de nada. Nada demais, como todas essas linhas bobas que agora são tudo o que eu consigo dizer.

6 comentários:

  1. Se te faltam palavras agora, é porque algo de bom estar por vir para te encher de felicidade e palavras. Não desanima.

    ResponderExcluir
  2. te amo sua ptx. liiindo o texto.

    ResponderExcluir
  3. que profundo ;x
    #adooooorei ;)
    Clazinha seu blog é tudo de bom (:

    ResponderExcluir
  4. muiito perfeito Clá.. tudo vai melhorar você vai vê!
    talento de sobra numseique *-*

    ResponderExcluir
  5. Amei o texto mana, você escreve muito bem.
    te amo!

    ResponderExcluir
  6. Quando as palavras se soltam, fica dificil mesmo conceituar qualquer coisa que seja, mesmo quem um tema tao facil para nós. Mas, as palavras sempre voltam, de onde partiram. (:
    Gostei do texto!

    ResponderExcluir